Criar Anúncio!
Entrar na Área Pessoal Lista de imóveis

Data: 1/4/2020
Frequência: Diária
Edições: Gratuitas

Pesquisar Notícias

Pesquisar

ler mais Agenda

26 out 12 a 28 out 12 - Madrid - Palacio de Congresos de Madrid Salón de la Vivienda de Madrid

31 ago 12 Home Ownership Fair Switzerland

29 setembro 2014

A busca da vantagem competitiva e o Congresso Brasileiro de Corretores de Imóveis!

Imprimir
Jorge Garcia, Especialista em Imobiliário

No limiar do último trimestre de 2014, o Brasil e a economia brasileira vivem momentos de grande incerteza geradora de estimativas pessimistas e esse clima persiste como fator negativo para o crescimento. Estagnação económica e incerteza sobre o futuro, vêm condicionando as decisões de consumo dos particulares e as decisões de investimento das empresas. Sabemos o quanto o mercado imobiliário é afetado pela conjuntura econômica e sobretudo pelas expetativas de cenário futuro mas a manter-se um sistema de financiamento habitacional forte e sólido que disponibilize empréstimos para os compradores de imóveis idóneos, independentemente da sua faixa social, o setor da construção e do imobiliário deverá prosseguir uma trajetória de crescimento moderado. Também a competitividade do mercado imobiliário dependerá em larga medida da capacidade de inovação e modernização dos seus operadores e não será por aí que deixaremos de nos tornar mais competitivos.

No que se refere a Fortaleza e sua Região Metropolitana, de acordo com uma pesquisa realizada pela Cooperativa da Construção Civil do Ceará (Coopercon-CE), pelo menos 56 novos empreendimentos residenciais e comerciais deverão ser lançados nos próximos três anos. Apesar do crescimento de outras cidades limítrofes como Aquiraz e Eusébio, a maioria dos lançamentos deverá continuar a ocorrer nos bairros nobres de Fortaleza como Cócó, Aldeota e Meireles e nos bairros de expansão da cidade como Guararapes, Joaquim Távora, Álvaro Weyne, Dionísio Torres e Luciano Cavalcanti. Ainda de acordo com a pesquisa “Geoimóvel”, os lançamentos realizados com “tiquete” médio de até R$ 170 mil tiveram uma absorção de 96,3 %. Este é mais um indicador que reforça o que temos vindo a verificar no mercado residencial da Região Metropolitana de Fortaleza. É este segmento de mercado em que a demanda é largamente superior à oferta, que se deverá tornar no futuro, o motor do mercado imobiliário cearense.

No mês de Setembro, Fortaleza continuou na rota dos grandes eventos. O Centro de Eventos do Ceará acolheu o ENBRACI (Encontro Brasileiro de Corretores de Imóveis) e o CIMI (Congresso Internacional do Mercado Imobiliário). Mais de 3.500 corretores de imóveis participaram dos 3 dias da programação. Destacaria pelo conteúdo e qualidade das intervenções o painel “imagine o mercado imobiliário e a ocupação do território brasileiro em 2030” e pela atualidade do tema e sua importância para o mercado imobiliário lusófono, “Golden Visa – a autorização para morar na Europa e nos EUA; saiba como ganhar muito dinheiro com esse negócio. Uma grande satisfação pessoal pelo reencontro com Luís Lima, presidente da APEMIP (Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal) e da CIMLOP (Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa). O Brasil é hoje o 4º mercado emissor de compradores de imóveis em Portugal, representando 6% das transações feitas por estrangeiros. Depois de China, Angola e Dubai, o C.I.M.I. foi uma oportunidade para o seu trabalho de “formiguinha” em prol da divulgação de Portugal como destino de investimento imobiliário e do SIL - Salão Imobiliário de Portugal.

Hoje no Brasil, o principal destino internacional concorrente de Portugal é o Estado da Flórida nos EUA. Tendo começado por ser um destino de “shopping” e férias, o “american way of life” vem conquistando os brasileiros, tendo tornado Miami e Orlando, os principais destinos de compra no estrangeiro de imóveis de segunda moradia, residência de veraneio e de investimento. A proximidade a “outlets” e megastores com preços atrativos, praias e restaurantes e fatores como a segurança e a higiene urbana vêm conquistando os brasileiros. Para imóveis com a mesma similitude e boa localização, os preços dos imóveis e das taxas de condomínio nos EUA são mais baixos que no Brasil. Cada vez mais, a escolha de um destino de investimento imobiliário não é somente preço. A segurança jurídica, segurança de pessoas e bens, higiene e planejamento urbano, a notoriedade social possibilitada pelo lugar, são fatores tidos em conta nas opções de compra dos compradores internacionais.

Hoje, Portugal, Lisboa e outras cidades portuguesas já estão nos roteiros do turismo internacional e os midia de referência publicam artigos altamente favoráveis. É preciso consolidar essa imagem positiva e criar uma “umbrela” comum aos setores turístico e imobiliário. Portugal tem segurança jurídica, vantagens comparativas em termos de segurança e higiene urbana face a outros destinos, gastronomia e vinhos de qualidade. Precisa de um “plus” diferenciador. Uma das respostas pode estar no turismo cultural. No próximo mês de Outubro vai realizar-se em Lisboa uma conferência internacional de património cultural e turismo. Se o património cultural pode gerar receita turística também a reabilitação urbana poderia dinamizar a atividade imobiliária. Uma última referência para o aniversário do “Magazine Imobiliário”. Parabéns ao Joaquim Pereira de Almeida e sua equipe. Estou certo que toda a fileira da construção e do imobiliário português partilha um voto de sucesso.

Fonte: Jorge Garcia, Especialista em Imobiliário

Comentário

Submeter

Os comentários são sempre sujeitos a apreciação prévia. Ficam excluídos da sua colocação online os comentários considerados ofensivos, insultuosos, difamatórios, inflamados, discriminatórios, e desadequados ao texto alvo de comentário.